sábado, 8 de outubro de 2011

História do Pau Elétrico (Travel Guitar)

Estava pesquisando um pouco e descobri este texto, que fala deste grande invento brasileiro. Poucos sabem que este instrumento deu origem ao que chamamos hoje de Travel Guitar...

Pau Elétrico
.
A guitarra baiana de cinco cordas dos dias atuais evoluiu a partir do pau elétrico ou cavaquinho elétrico, construído na década de 1940 [1,2] por Adolfo Dodô Nascimento e Osmar Álvares Macêdo, em Salvador, Bahia. Consistia em um braço de um cavaquinho montado sobre um pedaço comprido de jacarandá, um captador magnético caseiro e quatro cordas afinadas em quintas (Sol-Re-la-Mi, ao modo do bandolim), resultando em um cruzamento eletrificado entre dois instrumentos acústicos, com uma 'caixa' completamente sólida.

Esta combinação cumpria com as exigências dos seus criadores, que tinham o custume de tocar os seus cavaquinhos afinados como bandolim [3]. Simultaneamente, a mesma abordagem foi usada para criar uma versão de 6 cordas do pau elétrico, com o braço e afinação de um violão [4]. Os instrumentos estão preservados pela família Macêdo e permanecem em condição de uso. Dodô e Osmar nunca registraram a sua invenção, e apenas no final dos anos 1940 tomaram conhecimento da existência de guitarras elétricas de corpo sólido feitas nos Estados Unidos [5].

O fato que a guitarra baiana evoluiu em um contexto completamente "nativo" é de considerável importância para a história da música popular da Bahia. Assim, o instrumento disfrutava de uma vantagem em relação a modelos e estilos de guitarra elétrica importados posteriormente, o que muito ajudou a sua individualização musical.

A circunstância do pau elétrico ter surgido no mesmo período de tempo que alguns importantes ancestrais da guitarra elétrica nos Estados Unidos (como o Log Guitar deLes Paul, de 41 e as e as patentes arquivadas por Leo Fender e Doc Kauffman em 44), chegou a inspirar teorias que a guitarra elétrica moderna pode ter sido inventada no Brasil. Embora colocar as coisas desta maneira seria rebuscado, é possível afirmar que opau elétrico, considerando a sua afinação de bandolim de junto ao fato que modelos debandolins elétricos de corpo sólido não apareceram nos Estados Unidos até os anos 1950, pode ser visto como o mais antigo bandolim elétrico de corpo sólido conhecido.

Note-se também que o pau elétrico na imagem foi feito 'sem cabeça' (ou seja, a cabeça está localizada não no final, mas noinício do braço, servindo ao mesmo tempo de cavalete) o que lhe confere uma aparência bem moderna, lembrando a um Chapman Stick. Esta idéia anticipa nítidamente os desenhos do desenvolvidor norte-americano Ned Steinberger dos anos 1980. Note-se também o headstock unilateral do pau elétrico (ou seja, a cabeça é assimétrica, com todas as tarraxas no mesmo lado), uma inovação normalmente considerada de ter surgido com o chamado scrolled headstock dos instrumentos desenhados por Paul Bigsby, e Leo Fender, a partir de 1947 [6].

Maiores informações no site abaixo:

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Problemas com ymail do yahoo!

Atenção clientes e amigos.
Estamos tendo problemas com os emails do Yahoo. O email: "beluthier@yahoo.com.br" está temporariamente inoperante. Estamos usando o email do nosso site (contato@beluthier.com.br) e o email: beluthier@gmail.com
Caso você tenha nos enviado algum email e estiver percebendo a demora de sua resposta, por favor reenvie para o novo email.
Agradecemos a compreensão.

terça-feira, 19 de julho de 2011

Fernando Bernardo entre os dez mais inovadores luthiers da MGS!




A revista Guitar Player americana publicou no seu site os dez mais inovadores luthiers da Montreal Guitar Show e o Violão Gávea 20º aniversário está entre eles!

Aqui vai o link: http://www.guitarplayer.com/article/ten-forward-thinking-luthiers-at-the-2011-montreal-guitar-show/5305

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Montreal Guitar Show




Olá pessoal!

Recentemente eu tive o prazer de ser indicado a participar da Montreal Guitar Show no Canadá, onde pude apreciar o trabalho de grandes luthiers como: Linda Manzer, Pagelli, Ken Parker, Michael Greenfield, entre outros. Foi uma oportunidade única de aprender um pouco mais sobre a Lutheria mundial, através de luthiers de diversas nacionalidades.

Para mim foi um grande presente, ter sido tão bem recebido e ter obtido a atenção e o respeito de luthiers com este nível.

Eu agradeço aqui a todos aqueles que acreditaram no meu trabalho e que estiveram do meu lado a cada dúvida e a cada vitória. Um agradecimento especial a Amanda (minha esposa) que esteve ao meu lado a todo momento e que me deu força para chegar onde cheguei.

Agradeço aos meus pais, irmã e amigos pelo apoio, meus alunos pela paciencia e dedicação e a Deus, por ter me guiado até aqui.

Este endereço abaixo, mostra um dos violões que construí para este evento, sendo tocado pelo violonista Karl Marino. Este foi o modelo Gávea 20 aniversário.

Espero que gostem!

www.laguitare.com/luthiers_salon_de_guitare_de_montreal_2011.php?id=1&lid=1701

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Universidade do Paraná (Curso de Lutheria)

A Universidade do Paraná, possui um curso superior em Lutheria. Quem quiser mais informações, pode dar uma olhada neste link: http://redeglobo.globo.com/videos/globouniversidade/v/luteria/1512670/

Para quem não pode se deslocar até o sul e mora no Rio, sugiro conhecer o curso da Beluthier.

Saudações!

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Fernando Bernardo (Beluthier) na Montreal Guitar Show 2011

Olá Amigos!

É com grande orgulho que anuncio a participação da Beluthier na Montreal Guitar Show, realizada no Canadá.
Grandes luthiers de várias partes do mundo participam deste mega evento que ocorre paralelamente ao Festival de Jazz de Montreal. Fui indicado a participar, apresentando o meu trabalho em violões clássicos e de cordas de aço, sendo o único luthier brasileiro a expor.
Esta é mais uma oportunidade para mostrar que o nosso trabalho não deve em qualidade quando comparado a luthiers de outras partes do mundo.

Montreal Guitar Show

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Sound Port

The Corker

Muitos Luthiers atualmente, estão adotando as chamadas "Sound Port" ou aberturas nas laterais do violão, buscando um local ideal para o favorecimento de determinadas frequências. A foto de um experimento do luthier Alan Carruth, mostra um violão com vários furos tampados por rolhas de vinho, desta maneira podemos experimentar a sonoridade em cada região, é mais uma boa ferramenta para o aperfeiçoamento deste instrumento.
Beba com moderação!